Brasileiro prefere trocar e-mail a usar mídias sociais

E-mail e Midias Sociais
A troca de e-mails com familiares ou amigos foi citada por 44% dos entrevistados como o principal uso da internet

A maioria dos brasileiros que usa a internet com fins particulares dedica de uma a duas horas do dia para quatro principais finalidades: troca de emails, leitura de notícias, acesso a informações gerais em sites de busca e acesso a mídias sociais.

As informações são do estudo realizado pela GfK em nove regiões metropolitanas (Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém) e três capitais (Brasília, Goiânia e Manaus).

A troca de e-mails com familiares ou amigos foi citada por 44% dos entrevistados como o principal uso da internet. As mulheres são as que mais têm esse hábito, 51%, contra 38% dos homens. A leitura de notícias teve 40% de citações e o costume é mais comum para os que têm mais de 56 anos (59%), enquanto que o percentual cai para 31% entre os mais jovens, com idade dos 18 aos 24 anos.

As mídias sociais também estão entre os usos mais frequentes (39%), sendo que entre os mais jovens esta porcentagem é bem mais alta: 61% na faixa etária entre 18 a 24 anos e 47% na faixa de 25 a 34 anos. Também com 39% de citações aparece a busca de informações gerais em sites como Google, por exemplo.

O uso da Internet para compras online ainda é restrito (9%), apesar do grande crescimento do comércio eletrônico apresentado nos últimos anos.

Sobre o tempo que dedicam para o uso particular da web, 40% dos entrevistados afirmam que reservam de 1 a 2 horas por dia para esta atividade, 18% usam menos que uma hora por dia e 19% não usam a Internet todo dia.

Microsoft mostra inicialização superveloz do Windows 8

Um vídeo disponibilizado pela Microsoft mostra a rapidez com que o Windows 8 se inicializa no computador. De acordo com as imagens, do momento de ligar até aquele em que a tela inicial está pronta para o uso, demoram 10 segundos.

Segundo o site Windows 8 Update, a melhoria se dá por causa de um novo sistema híbrido que mistura processos em boots frios e no modo de hibernação.

Será o final da Wikileaks?

Aqui tu faz, aqui tu paga!

Quando Julian Assange e a sua equipe no WikiLeaks enviavam as informações dos vazamentos para a imprensa, era feita toda uma triagem com a remoção dos nomes de alguns dos envolvidos (nomes que poderiam causar danos sérios a alguém, inclusive ameaças de morte).

Para evitar que isso ocorresse, tanto Assange quanto a comunidade envolvida filtravam as informações antes de enviar para a imprensa.

Recentemente, porém, foi descoberto que toda a coleção do WikiLeaks, contendo mais de 250 mil documentos diplomáticos está circulando em um arquivo cru, sem filtros nem análises prévias, e totalmente sem edição. Gerou críticas não apenas do governo dos Estados Unidos, mas também de outros governos e da própria equipe do WikiLeaks.

WikiLeaks é vítima dos próprios vazamentos
WikiLeaks é vítima dos próprios vazamentos

Segundo David Leigh do jornal The Guardian, a relação entre a imprensa e o WikiLeaks era “baseada em um contrato que permitia à imprensa redigir os artigos antes de publicá-los, e que nenhuma informação seria publicada se não passasse por esse processo, a fim de evitar que informações pessoais e que pudessem colocar as pessoas envolvidas em risco fossem publicadas”.

Tanto Assange quanto o WikiLeaks dizem que o culpado por esse vazamento é o The Guardian. Mais especificamente o próprio Leigh, por ter publicado em um livro sobre a organização uma senha que permitia o acesso a todas as informações dos documentos.

Até mesmo o militar acusado de colaborar para o vazamento das informações, atualmente em prisão militar dos Estados Unidos, está (dizem…) desacreditado com a organização.

Mesmo que isso signifique o fim do WikiLeaks, o site já alterou em muito o modo como enxergávamos certos fatos, além de dar visibilidade e derrubar muita gente. Sempre apoiei a organização e vi os benefícios que as suas publicações causaram no mundo.

Vivemos uma época em que “segredos de Estado” que protegem apenas ao interesse do governo (ou a chamada “segurança nacional”) não são mais tão confidenciais assim.

fonte: www.tecnoblog.net

5 dicas para usar a galeria de imagens do Twitter ao seu favor

Exibir fotos de produtos e ações corporativas pode ser o começo de um sólido processo de engajamento de consumidores em torno de sua marca.
null

Desde segunda-feira (22/8) o Twitter vem exibindo na forma de galeria as imagens carregadas pelo usuário. Isso pode facilmente se tornar mais que um recurso engraçadinho para ter grandes implicações no modo como as empresas se relacionam com clientes e consumidores.

Sua empresa tuíta imagens? Se não, é hora de começar. Para isso, você pode usar qualquer app de imagem feito por terceiros. Quando o Twitter lançar seu próprio serviço, ele irá agregar e exibir tudo que já tiver sido compartilhado.

É novato na prática? Então conheça algumas dicas valiosas sobre como compartilhar imagens pelo Twitter.

1:: Não faça spam.

Capturar uma imagem de cada produto que sua empresa oferece e empurrá-la goela abaixo a seus seguidores é uma boa fórmula para deixar de ser seguido. (Felizmente, você pode apagar as imagens arquivadas nas novas galerias.)

2:: Divulgue fotos de alta qualidade.

Isso não quer dizer que vá precisar de fotos de alta resolução (as fotos tiradas com smartphones já são boas), mas procure compartilhar apenas as imagens que você sentiria orgulho de mostrar a qualquer um – afinal, elas estarão agora arquivadas em seu perfil.

3:: Responda.

Muitos empresários têm pouco tempo para dedicar a redes sociais. Com isso, há uma tendência de compartilhar, mas não de responder. É uma oportunidade perdida. Mesmo para donos de negócio com pouco tempo disponível, responder a dúvidas ou preocupações é um jeito poderoso de fortalecer os relacionamentos existentes e alargar sua influência. Tirar uma foto para responder a preocupações ou responder a questões sobre seus produtos vai demonstrar que você está disposto a um esforço extra de engajamento. E agora esse esforço extra estará arquivado para que todos o vejam.

4:: Envolva todo mundo.

Sejamos francos, podemos ficar o dia todo no Twitter sem nos dar conta. Alivie sua carga definindo políticas claras para divulgação de imagens e outras mensagens e deixe que os funcionários tirem fotos e as compartilhem em nome da empresa. Mas permaneça envolvido e certifique-se de que as imagens que saem de sua conta no Twitter estão alinhadas com os valores da empresa.

5:: Mantenha o diálogo usando suas imagens.

Está projetando um novo sapato? Tire uma foto do protótipo e provoque sua comunidade para que contribua com opiniões. Leve os comentários a sério – eles provavelmente virão dos primeiros a comprar seu produto. Isso também poderá criar uma narrativa visual atraente por meio das novas galerias de imagem do Twitter. Assim, por exemplo, os usuários poderão ver o sapato desde o esboço até o produto final.

A nova galeria de imagens do Twitter não deve ser confundida como um add-on qualquer. Ela tem o potencial de mudar radicalmente a forma como a plataforma é usada, tanto por consumidores como por empresas. Afinal de contas, uma imagem vale mais que mil palavras – e ela não entra em nenhuma contagem de caracteres.

(Ilie Mitaru)
Fonte: idgnow.uol.com.br

Descuido com AdWords pode afastar eleitores.

Propaganda política na internet pode ser uma boa pegadinha, um descuido e você perde votos preciosos que podem até lhe custar um mandato.
Alguns políticos que estão fazendo marketing no Google através de AdWords – serviço de propaganda baseado em palavras-chave buscadas – estão sendo descuidados a ponto de desperdiçar a oportunidade de divulgação da sua plataforma.

Por exemplo, se você buscar por “José Agripino” no Google, o link patrocinado aponta para a página do Facebook e não para o perfil do candidato na rede social.

Descuido com AdWords
Ao clicar, você vai para a página do Facebook, e não para o perfil do candidato

É dinheiro desperdiçado, né? A Google e o Facebook agradecem.

WordPress 3.0 ja está disponível

Wordpress 3.0 disponivel
Wordpress 3.0 disponivel

O WordPress 3.0 está disponível para download. O sistema é resultado do trabalho de meio ano de 218 colaboradores.

Entre as novidades do release está um novo tema padrão, chamado Twenty Ten. Os desenvolvedores de temas possuem novas APIs que lhes permitem implementar, de maneira fácil, planos de fundo personalizados, cabeçalhos, links curtos, menus e taxonomias.

Para desenvolvedores e administradores de redes, a nova versão traz a fusão do WordPress com o MU, criando uma nova funcionalidade de multi-site que torna possível rodar um ou vários blogs a partir da mesma instalação.

Já os usuários terão uma interface mais leve, ajuda contextual em cada tela, correção de 1.217 bugs e atualizações em massa, permitindo a atualização de 15 plugins de uma só vez com apenas um click.

Para mais detalhes sobre o novo release, basta acessar a página do Codex http://codex.wordpress.org/Version_3.0 . No blog, a empresa afirmou que não está iniciando o desenvolvimento da versão 3.1, mas que vai dar um tempo no ciclo de releases para se concentrar no WordPress propriamente dito.

A versão 2.9 teve mais de 10,3 milhões de downloads, e a 3.0, a versão em espanhol no primeiro dia  já contava com mais de 2 milhoes de downloads

O WordPress 3.0 já está disponível em português.