Twitter vai ajustar seu ‘censor’ de acordo com o país

O microblog Twitter anunciou nesta sexta-feira um mecanismo que irá bloquear algumas mensagens, de maneira seletiva, levando em conta o país em que elas podem ser exibidas.

Twitter vai ajustar seu ‘censor’ de acordo com o país
Twitter vai ajustar seu ‘censor’ de acordo com o país

Em seu blog, a empresa anunciou que poderia “reter conteúdo de usuários de um país específico”.

Mas disse também que o que for bloqueado em um país pode seguir disponível no restante do mundo. Até então, quando o Twitter decide apagar uma mensagem, ela desaparece em todo o mundo.

Expansão

A mudança vem à tona em um momento em que o site social está se expandindo para outros mercados globais.

A empresa explicou que esse crescimento internacional significa entrar em países que “têm idéias diferentes sobre liberdade de expressão” e citou como exemplos a França e a Alemanha, que vetam conteúdo pró-nazismo.

“Começando hoje, agora temos podemos reter conteúdo de usuários em países específicos – enquanto ele permanece visível no restante do mundo”, disse a empresa em seu blog.

“Ainda não usamos essa ferramenta, mas se e quando ela for necessária, vamos tentar alertar o usuário e vamos deixar claro que determinado tweet foi bloqueado.”

Críticas

A decisão foi criticada pelo grupo Repórteres Sem Fronteiras. “Essa medida pode permitir que o Twitter ou outras empresas na internet censurem conteúdos, criando riscos para a liberdade de informação e da imprensa.”

“Seria interessante perguntar para eles que tipo de pesquisa eles fizeram para mostrar que benefícios teríamos ao censurar tweets em alguns países. Isso é algo problemático mesmo ou eles estão sendo pressionados por certas organizações ou certos regimes, para que possam continuar a funcionar nesses lugares?”

Em resposta, o Twittter disse: “Nossas políticas e nossa filosofia em relação ao reconhecimento da liberdade de expressão não mudou. Este é simplesmente um esclarecimento sobre como respondemos a requisitos legais.”

Muitos usuários do Twitter também reclamaram da medida, com alguns destacando a possibilidade de um impacto negativo na liberdade de expressão, especialmente fora dos Estados Unidos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *