Será o final da Wikileaks?

Aqui tu faz, aqui tu paga!

Quando Julian Assange e a sua equipe no WikiLeaks enviavam as informações dos vazamentos para a imprensa, era feita toda uma triagem com a remoção dos nomes de alguns dos envolvidos (nomes que poderiam causar danos sérios a alguém, inclusive ameaças de morte).

Para evitar que isso ocorresse, tanto Assange quanto a comunidade envolvida filtravam as informações antes de enviar para a imprensa.

Recentemente, porém, foi descoberto que toda a coleção do WikiLeaks, contendo mais de 250 mil documentos diplomáticos está circulando em um arquivo cru, sem filtros nem análises prévias, e totalmente sem edição. Gerou críticas não apenas do governo dos Estados Unidos, mas também de outros governos e da própria equipe do WikiLeaks.

WikiLeaks é vítima dos próprios vazamentos
WikiLeaks é vítima dos próprios vazamentos

Segundo David Leigh do jornal The Guardian, a relação entre a imprensa e o WikiLeaks era “baseada em um contrato que permitia à imprensa redigir os artigos antes de publicá-los, e que nenhuma informação seria publicada se não passasse por esse processo, a fim de evitar que informações pessoais e que pudessem colocar as pessoas envolvidas em risco fossem publicadas”.

Tanto Assange quanto o WikiLeaks dizem que o culpado por esse vazamento é o The Guardian. Mais especificamente o próprio Leigh, por ter publicado em um livro sobre a organização uma senha que permitia o acesso a todas as informações dos documentos.

Até mesmo o militar acusado de colaborar para o vazamento das informações, atualmente em prisão militar dos Estados Unidos, está (dizem…) desacreditado com a organização.

Mesmo que isso signifique o fim do WikiLeaks, o site já alterou em muito o modo como enxergávamos certos fatos, além de dar visibilidade e derrubar muita gente. Sempre apoiei a organização e vi os benefícios que as suas publicações causaram no mundo.

Vivemos uma época em que “segredos de Estado” que protegem apenas ao interesse do governo (ou a chamada “segurança nacional”) não são mais tão confidenciais assim.

fonte: www.tecnoblog.net

One Reply to “Será o final da Wikileaks?”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *