5 dicas para usar a galeria de imagens do Twitter ao seu favor

Exibir fotos de produtos e ações corporativas pode ser o começo de um sólido processo de engajamento de consumidores em torno de sua marca.
null

Desde segunda-feira (22/8) o Twitter vem exibindo na forma de galeria as imagens carregadas pelo usuário. Isso pode facilmente se tornar mais que um recurso engraçadinho para ter grandes implicações no modo como as empresas se relacionam com clientes e consumidores.

Sua empresa tuíta imagens? Se não, é hora de começar. Para isso, você pode usar qualquer app de imagem feito por terceiros. Quando o Twitter lançar seu próprio serviço, ele irá agregar e exibir tudo que já tiver sido compartilhado.

É novato na prática? Então conheça algumas dicas valiosas sobre como compartilhar imagens pelo Twitter.

1:: Não faça spam.

Capturar uma imagem de cada produto que sua empresa oferece e empurrá-la goela abaixo a seus seguidores é uma boa fórmula para deixar de ser seguido. (Felizmente, você pode apagar as imagens arquivadas nas novas galerias.)

2:: Divulgue fotos de alta qualidade.

Isso não quer dizer que vá precisar de fotos de alta resolução (as fotos tiradas com smartphones já são boas), mas procure compartilhar apenas as imagens que você sentiria orgulho de mostrar a qualquer um – afinal, elas estarão agora arquivadas em seu perfil.

3:: Responda.

Muitos empresários têm pouco tempo para dedicar a redes sociais. Com isso, há uma tendência de compartilhar, mas não de responder. É uma oportunidade perdida. Mesmo para donos de negócio com pouco tempo disponível, responder a dúvidas ou preocupações é um jeito poderoso de fortalecer os relacionamentos existentes e alargar sua influência. Tirar uma foto para responder a preocupações ou responder a questões sobre seus produtos vai demonstrar que você está disposto a um esforço extra de engajamento. E agora esse esforço extra estará arquivado para que todos o vejam.

4:: Envolva todo mundo.

Sejamos francos, podemos ficar o dia todo no Twitter sem nos dar conta. Alivie sua carga definindo políticas claras para divulgação de imagens e outras mensagens e deixe que os funcionários tirem fotos e as compartilhem em nome da empresa. Mas permaneça envolvido e certifique-se de que as imagens que saem de sua conta no Twitter estão alinhadas com os valores da empresa.

5:: Mantenha o diálogo usando suas imagens.

Está projetando um novo sapato? Tire uma foto do protótipo e provoque sua comunidade para que contribua com opiniões. Leve os comentários a sério – eles provavelmente virão dos primeiros a comprar seu produto. Isso também poderá criar uma narrativa visual atraente por meio das novas galerias de imagem do Twitter. Assim, por exemplo, os usuários poderão ver o sapato desde o esboço até o produto final.

A nova galeria de imagens do Twitter não deve ser confundida como um add-on qualquer. Ela tem o potencial de mudar radicalmente a forma como a plataforma é usada, tanto por consumidores como por empresas. Afinal de contas, uma imagem vale mais que mil palavras – e ela não entra em nenhuma contagem de caracteres.

(Ilie Mitaru)
Fonte: idgnow.uol.com.br

O Facebook é uma ameaça à supremacia do Orkut no Brasil?

Especialistas analisam se rede social comandada por Mark Zuckerberg pode crescer a ponto de ser mais popular que o site do Google.

De um lado, a rede social mais popular do Brasil, com nenhum adversário que ofereça real perigo à penetração de 75% na base de internautas brasileiros. Do outro, a maior rede social do planeta, contabilizando mais de 250 milhões de usuários, o que o credenciaria como quarto país mais popular do planeta.

O mercado brasileiro deverá ver nos próximos meses uma tensão crescente entre o Orkut, aparentemente imbatível em terras nacionais, e o Facebook, responsável por desbancar o então dominante MySpace e se tornar a rede social mais popular do mundo.

A prova está não apenas no concurso de desenvolvimento anunciado pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, em visita ao Brasil, mas também nos números de acesso no País revelados pelo precoce empreendedor: 1,3 milhão de brasileiros já têm contas na rede social.

O IDG Now! ouviu pesquisadores e especialistas do mercado brasileiro de internet para esclarecer se o Facebook representará uma ameaça real à supremacia do Orkut no Brasil ou se engrossará a lista de competidores que tentaram, mas não fizeram cócegas ao site do Google.

“O Facebook é um ameaça, mas não tão real como foi para redes em outros países. Até 2008, conversávamos sobre redes sociais e não víamos nenhuma ameaça, seja pelo Orkut estar bem posicionado, seja pela faltar de serviços em português”, explica o analista de internet do Ibope Nielsen Online, José Calazans.

As duas barreiras não são problemas para o Facebook, que tem uma distribuição heterogênea em mercados internacionais (70% dos seus perfis estão fora dos Estados Unidos) e uma versão em português lançada em dezembro de 2008 após tradução apoiada pela comunidade.

A esmagadora vantagem do Orkut
Para pensar em ultrapassar o Orkut no Brasil, o Facebook terá que tirar uma ampla vantagem da rede social do Google, que, mesmo com sua alta penetração entre os brasileiros, continua a aumentar – em julho de 2009, 75% da base brasileira de internautas acessou a rede social, contra 70% de um ano antes, desempenho alimentado principalmente pela entrada de adultos (pais de adolescentes, na maioria). Isso significa que 27,3 milhões de brasileiros navegaram pela rede social no período.

A penetração crescente para um site que tem uma base tão grande é um dado importante, segundo Calazans. “Isso mostra que (o Orkut) ainda não bateu no teto. Enquanto isso, o Facebook começa a crescer. Lentamente, mas está crescendo”, explica Calazans. Ao contrário de outros rivais, como o Badoo e o Sonique, a curva de crescimento do Facebook é sustentável, contando com faixas etárias variadas.

Segundo o Ibope Nielsen Online, o uso do Facebook no Brasil é ainda maior que os dados divulgados pela rede social: em um ano, a audiência doméstica quadruplicou, saltando de 500 mil para 2,1 milhões de usuários. Se contarmos o acesso corporativo, o Facebook já tem 4,2 milhões de brasileiros inscritos.

Discurso semelhante ao de Calazans adota a pesquisadora da Universidade Católica de Pelotas, Raquel Recuero. Ela acredita que o Facebook, por ser “consistentemente mais inovador que o Orkut”, tem crescido de modo consistente e pode vir a ameaçar a rede do Google no futuro.

Recuero atrela uma eventual vitória do Facebook sobre o Orkut no Brasil a um cenário em que o primeiro mantenha sua estratégia de oferecer recursos inovadores e com grande apelo ao internautas brasileiro, como testes, jogos e presentes, e o segundo não se movimente para oferecer novidades ais usuários. A universalidade do Facebook e sua maior preocupação com a privacidade dos internautas podem pesar também contra o Orkut, aponta ela em seu blog.

Caso o cenário se mantenha, a grande barreira para adoção em massa do Facebook está na interface, considerada por ela “pouco atrativa e confusa, especialmente se comparada com a do Orkut”. Recuero tem estofo para falar sobre os motivos que levaram à adoção em massa do Orkut: a pesquisadora comandou uma equipe contratada pelo Google em 2005 para apontar que a interface simplificada e o timing no lançamento estão entre as razões do sucesso da rede social no Brasil.

O Google Brasil, porém, parece não querer parar e ver o rival crescer. Fontes do mercado ouvidas pelo IDG Now! afirmam que o escritório mineiro do buscador trabalha em uma reformulação visual do Orkut , trabalho que deve estar pronto em outubro. O projeto está sob a batuta do diretor de produtos da empresa para América Latina, Victor Ribeiro. Oficialmente, o Google Brasil não comenta a possível reformulação.

A natureza generalista, somada à sua universalidade, levaram o Facebook a bater tanto redes especializadas, como o MySpace, centralizado em música, como serviços regionais de sucesso, como o Bebo, no Reino Unido. Agora, a rede criada por Zuckerberg enfrenta um adversário “bem cimentado”, nas palavras de Calazans, com penetração entre usuários nacionais e tempo mensal gasto não visto em nenhum outro mercado do mundo.

Problemas com a Classe C?
Demograficamente, o perfil médio do brasileiro no Facebook conta com um usuário jovem com maior escolaridade (universitários ou em pós-graduação, segundo o Ibope). A adoção do Facebook Connect por portais nacionais – além do Terra, anunciado durante a visita de Zuckerberg, Globo.com e iG já integraram o sistema em seus conteúdos – pode levar a rede social para uma camada mais popular de internautas.

É aí que o Facebook encontra seu principal impedimento no Brasil, segundo o professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), Luli Radfahrer. “O Facebook não tem nenhum argumento sério que convença a classe C a mudar do Orkut para ele. O crescimento (do Facebook) não se deve à migração de base, mas ao uso das classes A e B. Esses usuários começaram a usar Orkut, viram a audiência crescer e depois perderam. Agora, demonstram interesse pelo Facebook”.

Para ele, as vantagens de usar o Facebook não superam as do Orkut, pelo menos do ponto de vista do usuário mais simples. “Não precisa ser classe C, pode ser das camadas A ou B com pouca alfabetização digital, pessoas mais velhas ou aqueles que entram no Orkut por causa de familiares ou amigos de escola”, explica. A migração continuará restrita a “nerds, geeks, antenados, fashionistas e usuários de iPhone”.

O alto índice de uso do Facebook entre esses públicos, no sentido contrário, é o que fará com que o Facebook bata o Orkut no Brasil, defende o presidente da agência Garage Interactive, Max Petrucci, que arrisca até um prazo: três anos. A adoção do Facebook no Brasil lembra muito a do comunicador MSN Messenger, compara ele, que aposta no poder de influência dos entusiastas e na maior seletividade da rede social como forma do Facebook atingir as massas.

A comparação de Petrucci ecoa a teoria de Recuero e Calazans sobre uma eventual migração do brasileiro do Orkut para o Facebook: contas serão criadas no segundo e ambas as redes poderão ser usadas simultaneamente. Caso haja uma migração em massa e ferramentas que justifiquem, a conta do Orkut pode perder lugar para a do Facebook, caracterizando uma migração gradual.

fonte: http://idgnow.uol.com.br/internet/2009/08/31/o-facebook-e-uma-ameaca-a-supremacia-do-orkut-no-brasil/

Últimos dias. Quer divulgar os resultados das eleições no seu site de campanha?

JMT Websolutions está em parceria com o TSE pra mostrar os resultados oficiais das Eleições 2010. Caso haja interesse na divulgação destes no seu site de campanha, entre em contato conosco. Não haverá cobrança financeira alguma pelo serviço.

Divulgação de resultados eleições 2010
Divulgação de resultados eleições 2010

No dia 19 de Agosto, foi feita a última reunião técnica com orientações com relação ao contrato de parceria entre a Justiça Eleitoral e as Empresas de Comunicação para divulgação de resultados segundo a resolução 23.128.

Ver mais informações no site do TSE

Dicas básicas para a criação de perfil público em redes sociais.

Perfil público em redes sociais
Perfil público em redes sociais

 

1 – Represente os ideais que você segue. Opere sob um código de conduta. Isso quer dizer que suas idéias tem de ser sincronizada através de todas as redes sociais que você faz parte. 

2 – Observe o comportamente cultural dentro de cada rede social sua e distribua suas idéias de acordo. 

3 – Retribua e reconheça as contribuições do seus seguidores e/ou amigos. 

4 – Não grude nos seus amigos. Há uma linha tênue entre comunicação e assédio, e você a atravessa caso bombardeia seus contatos com milhões de mensagens. Use o bom senso. 

5 – Não se limite a apenas uma rede social. Experimente outras redes e faça uma integração entre elas. Além de ter mais espaço na internet e ocupá-lo mais rapidamente, haverá mais oportunidades de encontrar contatos importantes. 

6 – Siga a gramática. Não use uma linguagem confusa como “ExXxToou IinnNDdoohhw ;**.” Até “vc” e/ou “naum” não estão sendo tão tolerados quanto antigamente. 

7 – Em microblogs como Twitter ou Jaiku, onde a comunicação é rápida, responda seus contatos o mais rápido possível. Se você demora muito, o outro provavelmente esquece o assunto. Caso você demore a dar um “@” ao seu contato, faça um comentário referente ao assunto. 

8 – Mostre seu rosto. Um perfil de Facebook, Twitter ou Orkut é muito mais confiável e firme se a face for mostrada.Um perfil com a foto do Goku ou do Homem de Ferro não é lá muito confiável. 

9 – Informe-se. Leia sobre as redes sociais das quais você faz parte. Recursos e novas funcionalidades aparecem a cada dia e se manter atualizado onde suas informações pessoais estão armazenadas é bem conveniente. 

10 – Fique offline: comunicação através de e-mails, replys, atualizações de status e mensageiros instantâneos é muito bom, mas ainda não é melhor do que uma conversa olho a olho começando com um firme aperto de mão. 

Facebook – Atinge 500 milhões de usuários

O Facebook anunciou nesta quarta-feira que atingiu a marca de 500 milhões de usuários em todo o planeta. É a maior rede social do mundo, uma comunidade superior ao número de usuários de internet na China, que tem 420 milhões de pessoas. Confira no gráfico, a curva de crescimento da rede. 

Facebook atinge 500 milhões de usuários no planeta
Facebook atinge 500 milhões de usuários no planeta

 

Nascida em 2003 a partir do projeto de Mark Zuckerberg, um estudante da Universidade de Harvard, o Facebook virou tema de estudos, teses e teorias. Uma das obras mais populares sobre o assunto, o livro The Facebook Effect: The Inside Story of the Company That is Connecting the World, de David Kirkpatrick, arrisca um palpite para explicar seu sucesso – argumento que, aliás, é defendido também por Zuckerberg: “Compartilhar informações e tornar a vida pública nos faz pessoas melhores”. Há quem discorde do jovem, hoje com 26 anos. No entanto, é certo que mais de 500 milhões de usuários da internet compartilham da opinião. 

Sérgio Valente, presidente da agência DM9DDB, acrescentas mais razões para o sucesso – em especial no mercado dos Estados Unidos. Para ele, os americanos estão habituados a interagir, principalmente no meio acadêmico. A cultura da fraternidade, explica o executivo, impulsionou o Facebook, primeiro entre as universidades e colégios, depois entre o público que terminava sua graduação. “Eu mesmo entrei na rede há seis anos, enquanto estudava em Harvard. A minha turma decidiu montar um grupo no Facebook e todo mundo achou que seria interessante fazer parte da rede”. 

Para Andre Deak, professor e diretor da empresa de estratégia de comunicação digital FLi Multimídia, os números impressionantes do Facebook sugerem que a internet é, de alguma forma, uma grande rede social. “As pessoas estão buscando notícias e tirando dúvidas nas redes, e isso pode ser uma tendência bastante significativa para o restante da web”, explica. 

Fernando Taralli, presidente da Energy, agência do Grupo Newcomm, encontra na tecnologia o segredo do sucesso do Facebook. Para ele, a rede desenvolvida por Zuckerberg possui as melhores funcionalidades. Além de ser uma plataforma aberta, que pode ser usada como base para milhares de desenvolvedores em todo o mundo na criação de aplicativos e ferramentas, a rede foi amplamente distribuída em diferentes canais (sites, blogs) e ganhou uma versão para celular, que permite aos seus usuários conexão 24 horas por dia, sete dias por semana. 

Brasil – Com números expressivos em várias partes do mundo, surge uma indagação: por que a rede de Zuckerberg ainda tem presença tímida no Brasil? Estimativas não oficiais apontam que 4,6 milhões de pessoas no país fazem parte da comunidade on-line, ante aproximadamente 50 milhões que estão interagindo pelo Orkut, o site de relacionamento mais popular do Brasil. 

Deak aponta peculiaridades locais para explicar isso. “O Orkut já se tornou uma rede social consolidada no Brasil. É difícil agora esperar que as pessoas aprendam a usar outra rede, com novas regras e interface”, diz. “É uma situação parecida com a que acontece com o Windows: apesar de existirem softwares livres, os usuários foram ‘alfabetizados’ pelo sistema operacional da Microsoft e se sentem confortáveis com ele”. 

Para Gian Giardelli, especialista em mídia digital, o Facebook não cresce no país por uma única razão: seu principal concorrente, o Orkut, foi responsável por um processo importante de inclusão social – e não digital. “As pessoas usam a rede como telefone, para se conectar, por meio dos scraps”, diz. “Além disso, os usuários publicam lá suas fotos e ficam com receio de migrar para outra rede e perder seus amigos”. 

Já Valente acredita que o obstáculo é mesmo o formato da rede. “O Facebook surgiu para que grupos debatessem assuntos de interesse comum”, aposta. “Já o Orkut foi desenvolvido para que as pessoas se expusessem na rede e fizessem amigos, uma característica universal da nossa cultura”. 

fonte: http://veja.abril.com.br/

Políticos usam web para arrecadar votos

Candidatos brasileiros já estão na internet

SÃO PAULO – Inspirados no presidente dos Estados Unidos, os políticos brasileiros vão às redes sociais em busca de votos.

No Twitter, um dos seus amigos escreve: “Já decidiu seu voto? Não? Então dá uma olhada neste texto”. Logo em seguida há um link para um artigo num blog de um dos candidatos à presidência. No orkut e no Facebook, outra avalanche de declarações de apoio toma conta das atualizações dos seus contatos. Propaganda irregular? Nem de longe, em nenhum dos dois exemplos. Essa boca de urna online vai virar realidade a partir de 6 de julho. Com a bênção da Justiça Eleitoral, a disputa política ganhou carta branca para invadir a internet.

Nas eleições anteriores, o espaço máximo que um candidato conseguia para defender suas ideias era o site oficial de campanha, cadastrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Também estava liberado o uso da página do próprio partido ou da coligação. Nesta vez, haverá uma mudança radical. Os candidatos também poderão defender seus pontos de vista em blogs e redes sociais. Foi autorizado até mesmo o recebimento de doações online, por meio do cartão de crédito. Os ministros do TSE concluíram que a internet é território livre. Por isso, decidiram que a web deve estar sujeita a mecanismos de controle menos rigorosos do que outros meios de comunicação.

Isso não quer dizer que vale tudo. O TSE definiu regras para a campanha digital, que devem ser seguidas para evitar multas que variam de 5 000 a 30 000 reais. Propagandas pagas, por exemplo, estão proibidas em qualquer home page. Além disso, nenhum partido poderá enviar e-mail a um eleitor que não tiver se cadastrado previamente para receber mensagens. E ofensas e abusos vão render direito de resposta (veja o quadro Sinal verde ou vermelho?). Mesmo assim, as restrições são bem mais leves do que as que existem para a TV e o rádio.

Leia mais em: http://info.abril.com.br/noticias/internet/como-ganhar-votos-online-29062010-6.shl

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/internet/como-ganhar-votos-online-29062010-6.shl

WordPress 3.0 ja está disponível

Wordpress 3.0 disponivel
Wordpress 3.0 disponivel

O WordPress 3.0 está disponível para download. O sistema é resultado do trabalho de meio ano de 218 colaboradores.

Entre as novidades do release está um novo tema padrão, chamado Twenty Ten. Os desenvolvedores de temas possuem novas APIs que lhes permitem implementar, de maneira fácil, planos de fundo personalizados, cabeçalhos, links curtos, menus e taxonomias.

Para desenvolvedores e administradores de redes, a nova versão traz a fusão do WordPress com o MU, criando uma nova funcionalidade de multi-site que torna possível rodar um ou vários blogs a partir da mesma instalação.

Já os usuários terão uma interface mais leve, ajuda contextual em cada tela, correção de 1.217 bugs e atualizações em massa, permitindo a atualização de 15 plugins de uma só vez com apenas um click.

Para mais detalhes sobre o novo release, basta acessar a página do Codex http://codex.wordpress.org/Version_3.0 . No blog, a empresa afirmou que não está iniciando o desenvolvimento da versão 3.1, mas que vai dar um tempo no ciclo de releases para se concentrar no WordPress propriamente dito.

A versão 2.9 teve mais de 10,3 milhões de downloads, e a 3.0, a versão em espanhol no primeiro dia  já contava com mais de 2 milhoes de downloads

O WordPress 3.0 já está disponível em português.

Alcance de redes sociais no Brasil é maior que em outros países

O Brasil é um dos países com maior adoção de redes sociais em todos o mundo. O País lidera a lista de países com mais usuários que visitam redes sociais, em proporção ao número total de internautas. O estudo da consultoria Nielsen foi feito com 10 países – incluindo Estados Unidos, França e Alemanha – e mostra que 86% dos usuários ativos de internet no Brasil usam algum tipo de rede social. Em média, eles passaram cerca de cinco horas navegando nesse tipo de site durante o mês de abril. Reprodução  

Redes sociais no Brasil
Redes sociais no Brasil

 

Orkut estimulou acesso a redes sociais no Brasil O Orkut foi um dos sites que ajudou a popularizar as redes sociais no Brasil. O Google lançou a versão brasileira do site em 2004 e, em setembro de 2005, metade dos brasileiros ativos na internet já havia se conectado ao Orkut. Apesar disso, os usuários da Austrália lideram em tempo gasto nas redes sociais, com mais de sete horas de navegação em abril. Em terceiro e quarto lugar aparecem Itália e Estados Unidos, onde os usuários navegaram cerca de seis horas e meia nas redes sociais no mesmo período. Em outros países, o Facebook alavanca a audiência em redes sociais. Na Itália, a rede social capturou dois terços dos usuários ativos em abril. Em contrapartida, os japoneses são os que menos acessam o Facebook, com audiência e tempo gasto menores do todos os 10 países analisados. O Brasil aparece na penúltima posição: aqui, somente 26% dos usuários ativos visitaram o site em abril.